Os 9 motivos por que as empresas fecham (e as soluções)

ISS: O que é, como calcular e quem precisa pagar?
24 de maio de 2017
Análise SWOT: O que é, como fazer e as vantagens para sua empresa.
8 de junho de 2017
Exibir tudo

Os 9 motivos por que as empresas fecham (e as soluções)

Para quem está iniciando seu empreendimento ou até mesmo para quem está a algum tempo no mercado sabe o quanto é difícil se manter competitivo no mercado. Muitos desses empreendedores ainda não tem experiência na gestão empresarial, não estão acostumados ou preparados a lidar com a pressão e isso faz com que enfrente algumas dificuldades e cometam alguns erros nestes processos.

A grande maioria das falhas está relacionada à gestão e a estratégia definidas pela empresa na hora de definir seu produto, serviço ou área de atuação.

Pensando nisso neste post vamos destacar os principais motivos que levam elas a fechar as portas, queremos assim ajudar você a passar longe desses problemas e ter uma caminhada mais tranquila na gestão da sua empresa e na concorrência do mercado.

As mais variadas questões fazem com que uma empresa tenha que fechar as portas principalmente nos seus primeiros anos de existência, as principais estão diretamente ligadas a má gestão e planejamento de vendas e precificação ineficazes ou até mesmo uma análise superficial e errônea do mercado de atuação. Então, para ser mais específicos, vamos listar os 9 principais motivos que levam uma nova empresa a falência:

 

1 — Não conhecer a demanda de mercado

Muitos empreendedores não fazem uma análise de mercado para conhecer sua principal demanda e assim focar na necessidade do seu cliente em potencial, fazem um julgamento do que eles acham relevantes sem levar em consideração o que seus clientes necessitam.

Faça uma análise de como sua ideia de produto ou serviço vai ser aceita no mercado, é viável investir tempo e dinheiro nesta ideia? Algumas perguntas podem ajudar você a visualizar se está no caminho certo: Quantas pessoas são afetadas? Essa é uma necessidade constante ou por tempo determinado? Tendo em mãos a resposta para essas duas questões já se torna possível ver a real relevância do seu produto ou serviço e se vale a pena o investimento.

Outra dica é não se precipitar e entregar algo com qualidade abaixo do prometido ao cliente, isso vai acabar deixando sua empresa com uma má reputação no mercado.

 

2 — Má gestão dos recursos financeiros

Não ter um controle efetivo de seus custos e aplicações financeiras é outro erro muito comum. Muitos empreendedores se afobam e não analisam o risco e o retorno de seus investimentos e acabam se complicando posteriormente. Então, a dica é adotar critérios rigorosos em investimentos, faça um planejamento estratégico, identifique as prioridades e principalmente nunca esqueça de sempre estar de olho no seu fluxo de caixa.

 

3 — Falta de critérios na montagem de sua equipe

Estruturar uma boa equipe não é uma tarefa fácil, geralmente o que acontece em pequenas empresas que estão começando é que uma única pessoa ou pouquíssimas pessoas executem todas as tarefas desde gestão, vendas até contabilidade. Esse sistema multitarefa, no início pode ser necessário por conta da falta de recursos para contratação, mas com o tempo e o crescimento da empresa acaba causando uma sobrecarga de trabalho e falta de foco.

Conforme a empresa vai crescendo é importante avaliar a possibilidade de contratar novos colaboradores para áreas especificas. Ao identificar essas demandas é interessante buscar profissionais com conhecimento da área de atuação e com habilidades que se complementem. Não tente abraçar o mundo sozinho, foque na gestão e tente delegar o máximo possível.

 

4 — Falta de conhecimento de mercado

Já citamos isso no início do post, a concorrência, existem muita gente assim como você tentando um lugar ao sol, então é bom estar atento aos seus concorrentes. É importante ficar de olho nos pontos fortes e nos pontos fracos de sua concorrência, saber quais são suas estratégias de negócios e buscar o máximo de informações que possam ajudar sua empresa a nortear um caminho para que seja possível concorrer de maneira competitiva por fatias do mercado e principalmente focar em oferecer diferenciais que não são oferecidos por eles aos seus clientes.

 

5 — Não ouvir o feedback de seus clientes

Autoconfiança é algo importante, mas o excesso é altamente prejudicial para os negócios, pensar que já sabe de tudo e que seu produto está pronto para o mercado e assim negar opiniões externas, sejam elas críticas ou apenas sugestões de melhorias pode ser um tiro no pé. É vital prestar atenção e até mesmo exigir do seus clientes um feedback sobre os produtos ou serviços que você dispõe. 

Tendo como base a avaliação deles é possível ir ajustando e corrigindo falhas para que cada vez mais seus produtos ou serviços cheguem ao patamar que realmente importa que é atender as necessidades das pessoas. Então, não se apegue totalmente aos seus próprios desejos e planejamento inicial, seja flexível e adeque seus produtos as necessidades de seus clientes.

 

6 — Adotar um modelo de negócio inflexível

A mesma ideia que abordamos no tópico anterior vale para o modelo de negócios, é claro que é importante adotar uma maneira de vender seus produtos ou serviços, mas isso não deve ser algo inflexível e imutável.

É primordial buscar novas formas de negociar, se reinventar. Se não está dando certo esse tipo de abordagem, porque não adotar outra forma? Se você viu que seu cliente tende a comprar mais fugindo do paradigma que você optou, repense e veja se é possível se adequar. Em momento de crise, isso é mais perceptível ainda, flexibilize formas de pagamentos, ajuste valores e assim você certamente vai melhorar sua forma de vender.

 

7 — Falta interesse de investidores e/ou clientes

Falta de verbas ou investimentos são um grande problemas, não conseguir vender sua ideia para investidores ou seus produtos e serviços para seus clientes é algo preocupante. Então, encontre maneiras de atrair a atenção dessas pessoas quando tiver a oportunidade.

Uma dica é criar um pitch ou seja, uma apresentação curta, que deve ter no máximo 5 minutos de duração. Nela apresente de maneira clara e sucinta suas ideias, mostre seus diferenciais e como eles podem ajudar seus clientes. Pequenos detalhes podem fazer uma grande diferença, então mostre confiança e foque nos pontos certos, se seu produto realmente tiver potencial, essa técnica vai fazer os olhos de seus clientes e investidores brilhar.

 

8 — Não investir em Marketing

De nada adianta sua empresa ter a melhor solução do mercado, se ninguém conhece ela. É necessário conhecer os consumidores, elaborar estratégias para atrair as pessoas, apresentar seu produto e assim torná-los clientes. Investir em Marketing Digital é uma das melhores opções, pois a gama de possibilidades é muito maior que o marketing tradicional, crie conteúdos especializados, ajude seu possível cliente a resolver seus problemas, sem ter que empurrar seu produto para ele e isso acaba se tornando uma via de mão dupla, provavelmente quando ele precisar de algo nesta área, vai lembrar que sua empresa o ajudou e vai agir de forma reciproca. Marketing não é custo é investimento.

 

9 — Ser avesso a tecnologia

Como já citamos neste artigo no início de qualquer empresa existem o acumulo de tarefas, os profissionais acabam se obrigando a assumir inúmeras responsabilidades em todas as áreas da empresa.

Mas isso pode ser solucionado se o empreendedor estiver sempre ligado nas tendências do mercado, existem inúmeras ferramentas que ajudam ele a manter um controle mais efetivo das atividades de gestão da sua micro ou pequenas empresa. Por exemplo, adotar um software de gestão financeira e empresarial é uma ótima sacada, pois alivia as tarefas de controle financeiro, vendas, compras, estoque, emissão de notas e evita que o empreendedor fique perdido no meio de tantas planilhas eletrônicas que não garantem nenhuma integridade nas informações, além de serem complexas e chatas de atualizar.

Então, analise as possibilidades do mercado para essa área. Nós da FlyERP, contamos com um dos melhores softwares de gestão voltados para micro e pequenas empresas, com controles totalmente online, de rápido aprendizado, implantação e que vai ajudar sua empresa a ter um controle muito mais profissional dos processos. Cuide da sua estratégia e planejamento e deixe os controles com a FlyERP.